Recuperados, Douglas Friedrich, Marco Antônio e Gregore treinam no Fazendão

O Bahia pode ganhar três reforços em breve. Após um período no departamento médico, o goleiro Douglas Friedrich, o volante Gregore e o meia Marco Antônio participaram de um treino na manhã desta quinta-feira, no Fazendão, enquanto os demais integrantes do elenco tricolor folgaram. Os três dependem de aprovações dos médicos e dos preparadores físicos do clube para voltarem a jogar.

Ausente dos últimos quatro jogos em virtude de dores no quadril, Douglas Friedrich retornou aos trabalhos técnicos. O goleiro sofreu uma pancada no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Baiano, contra o Atlético de Alagoinhas, e foi substituído por Anderson desde então.

Assim como Douglas Friedrich, Marco Antônio treinou no campo na manhã desta quinta. Ele está recuperado de uma cirurgia no pé esquerdo, para corrigir uma fratura no segundo metatarso, e não atua desde o fim de janeiro.

Já o volante Gregore, que sofreu uma lesão parcial do ligamento colateral medial no início de março, realizou um treino especial com bola. A tendência é que ele precise de mais algumas semanas para ficar à disposição de Roger Machado.

O Bahia volta a jogar na próxima terça-feira, às 19h15 (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador, quando volta a enfrentar o CRB pela Copa do Brasil. Na primeira partida, os dois times empataram em 1 a 1. Assim, o Tricolor baiano garante a vaga para a quarta fase do torneio em caso de triunfo por qualquer placar.

Neto Baiano vive maior jejum pelo Vitória: 440 minutos sem gols

Com histórico goleador, o centroavante Neto Baiano retornou ao Vitória em fevereiro deste ano com metas ousadas. Aos 36 anos, o maior artilheiro do Barradão, com 53 gols, afirmou que buscava se desafiar e chegar ao topo da artilharia geral do clube. A marca hoje pertence a Juvenal, que atuou no Rubro-Negro na década de 40 e fez 150 gols. Neto balançou as redes 85 vezes com a camisa rubro-negra, mas, desde que foi apresentado, não conseguiu chegar nem perto da meta. Em oito partidas disputadas em 2019, o atacante não balançou as redes.

Neto entrou em campo pela primeira vez na temporada no dia 16 de fevereiro, quando entrou no decorrer da partida contra o Ceará. O centroavante ganhou mais minutos em campo aos poucos, até conquistar a posição de titular. Ainda assim, não conseguiu marcar: chegou a 440 minutos sem balançar a rede pelo Vitória em 2019.

Nas primeiras partidas, não foram muitas as chances de marcar. Contudo, nos últimos jogos, chamaram a atenção as oportunidades claras desperdiçadas pelo atacante, situação que o próprio Neto lamentou.

 
 Em oito partidas disputadas, Neto ainda balançou as redes pelo Vitória — Foto: Maurícia da Matta / Divulgação / EC Vitória Em oito partidas disputadas, Neto ainda balançou as redes pelo Vitória — Foto: Maurícia da Matta / Divulgação / EC Vitória

Em oito partidas disputadas, Neto ainda balançou as redes pelo Vitória — Foto: Maurícia da Matta / Divulgação / EC Vitória

- Perdi bastante peso, estava com 16 de percentual [de gordura], hoje estou com 13. Estou me empenhando muito. Não posso fica dando desculpas, não eram gols para um cara como eu, experiente, perder. Assumo meus erros. Vou trabalhar mais para fazer nos próximos jogos. Era um jogo para tirar a zica. Não tirei, mas estou trabalhando muito para dar alegrias para a torcida – disse o atacante para a rádio Itapoan, de Salvador – disse Neto após a partida contra o Náutico.

Os oito jogos sem marcar em 2019 são o maior jejum de Neto Baiano pelo Vitória, contando todas as outras três passagens dele pelo clube. Com contrato curto, válido até o fim da Copa do Nordeste, o centroavante tem pouco tempo para mostrar serviço e continuar no Rubro-Negro.

O Vitória decide, na próxima segunda-feira, diante do Fortaleza, quem avança às semifinais do Nordestão. A possível classificação mantém sonho de título do Rubro-Negro e pode levar à permanência de Neto. Contudo, a derrota não só frustraria a expectativa pela conquista da competição, como pode significar a última partida do centroavante pelo Vitória.

Sem acordo, meia cita "amadorismo" do Vitória, e clube diz que não mediu esforços

Após reuniões com a diretoria do Vitória, o meia Damián Escudero se posicionou no fim da tarde desta quarta-feira sobre o desfecho das negociações com o clube. As duas partes se reuniram na última segunda-feira e não chegaram a um acordo. Com isso, o jogador de 31 anos deve voltar para a Argentina.

O jogador afirma que teve “a maior paciência do mundo para tentar chegar a um acordo”, mas o presidente Ricardo David apresentou uma proposta abaixo do esperado. O argentino diz que com o contrato apresentado “teria que tirar dinheiro do bolso para viver” (confira a mensagem completa abaixo).

Escudero garante que está bem fisicamente e que os “os relatórios médicos, da parte fisiológica e da comissão foram positivos”. O argentino também falou em “amadorismo” das partes envolvidas na negociação:

- Quero que fique bem claro que não foi dinheiro o problema e sim muito amadorismo das partes envolvidas para fechar uma negociação que era muito simples sempre desde que todos nós falássemos a mesma língua (português).

Por fim, Escudero diz que queria ficar no clube e agradece ao Vitória por ter aberto as portas para a sua recuperação:

- Eu queria muito ficar para ajudar ao clube, mas desse jeito eu me senti tratado como um moleque nessa negociação pelas partes envolvidas. E no mínimo eu mereço respeito - escreveu.

 

Vitória dá sua versão

 

O Vitória não demorou a dar sua versão. Em nota oficial (confira íntegra abaixo), o clube alega que o jogador não se entendeu com seus empresários e garante que não mediu esforços para contar com o meia argentino.

- Desde a sua chegada na Toca do Leão, havia uma proposta formatada para o jogador, que demonstrou interesse e concordância. Proposta esta que se manteve de pé até o fim das negociações, com o Clube, ainda assim, flexibilizando algumas partes do acordo. O Clube não mediu esforços para a permanência do meia e ressalta que o atleta não ficou por conta de desentendimentos entre o argentino e seus representantes - afirma o Vitória.


Confira a íntegra da carta de Escudero

 

“Hoje é um dia muito triste para mim. Estou saindo do Vitória e tomando a decisão de não ficar. Vou explicar a situação. Foi muito desgastante, e eu tive a maior paciência do mundo para tentar chegar a um acordo. Mas infelizmente as pessoas que levaram adiante a negociação acabaram atrapalhando muito o processo para eu ficar. Eu ontem saí do Barradão às 22h30, mas não foi resolvido nada. Hoje o Rafael Carvalho (que estava fazendo a intermediação) me enviou uma mensagem falando que o presidente já tinha o contrato na mesa e que era para eu ir no Barradão assinar. Fui no clube e quando cheguei lá, o acerto era diferente do qual Rafael tinha me passado. Então isso aí foi a gota d’água que acabou por eu tomar a decisão de não ficar no Vitória. Sendo que essa foi a terceira vez que me sentei (só hoje foram duas vezes) na frente do presidente para assinar e não acabou acontecendo.

Eu sei a situação do Vitória, eu sou um cara que me sinto em plenas condições de ajudar o clube. Queria muito ajudar a devolver a Vitória para Série A, mas isso aqui não é questão de dinheiro, por que eu queria muito jogar pelo Vitória novamente. Eu falei para o presidente que com esse contrato eu tinha que tirar dinheiro do meu bolso para viver. E ele se comprometeu a procurar uma solução, mas já foi muito tarde. Adiaram a reunião da última sexta-feira para segunda-feira, com o presidente alegando para mim que era para eu fazer um coletivo, onde ele ia me avaliar junto à comissão técnica (coisa que não foi assim). Eu fiz o coletivo, me senti muito bem. Os relatórios médicos, da parte fisiológica e da comissão foram positivos. Ou seja, só faltava o presidente ver que eu estava bem. Aí acabou perdendo três dias muito valiosos para finalizar a negociação e assinar na segunda-feira. Então nos reunimos segunda-feira e o presidente veio com uma proposta muito abaixo do esperado e que a empresa de intermediação havia me passado.

Então é isso o que aconteceu. Quero que fique bem claro que não foi dinheiro o problema e sim muito amadorismo das partes envolvidas para fechar uma negociação que era muito simples sempre desde que todos nós falássemos a mesma língua (português).

Eu queria muito agradecer ao Vitória por ter me abertos às portas para me recuperar e me deixar 100% para o meu futuro. É uma pena, sabendo o sentimento que eu tenho pelo Vitória, ver o clube na situação que está e não vejo que as coisas estejam sendo feitas para melhorar. Muito pelo contrário: nada é por acaso, né? Queria agradecer o carinho da torcida na rua, isso para mim vale muito mais que qualquer outra coisa.

Eu queria muito ficar para ajudar ao clube, mas desse jeito eu me senti tratado como um moleque nessa negociação pelas partes envolvidas. E no mínimo eu mereço respeito. Eu posso ser contratado ou não, é normal, lógico, e eu respeito. Mas ser tratado dessa forma? Eu acho que foi isso o que fizeram que eu tomasse a decisão de ir embora. Graças a Deus tive a honra de jogar em grandes clubes a nível mundial, e não merco passar por esse tipo de coisas. E por último agradecer muito mesmo aos funcionários do Vitória. Os fisioterapeutas, corpo médico, o pessoal da academia, da transição. Eu estou saindo triste, mas sabendo que vou ver a minha família que amo muito e que sempre estão do meu lado mesmo estando longe. Eles sabem do sacrifício que eu fiz para ficar no Vitória, mas que infelizmente não deu certo!"

 

Confira a íntegra da nota do Vitória

 

"O Esporte Clube Vitória comunica à Nação rubro-negra que as negociações com o meia Escudero foram finalizadas. O atleta não permanecerá no Clube por um desentendimento dele com os seus empresários.

Escudero chegou ao Clube no fim de fevereiro para passar por um período de 30 dias em avaliação. Por conta de uma lesão identificada no atleta, a avaliação foi prorrogada para que ele se recuperasse.

Desde a sua chegada na Toca do Leão, havia uma proposta formatada para o jogador, que demonstrou interesse e concordância. Proposta esta que se manteve de pé até o fim das negociações, com o Clube, ainda assim, flexibilizando algumas partes do acordo.

O Clube não mediu esforços para a permanência do meia e ressalta que o atleta não ficou por conta de desentendimentos entre o argentino e seus representantes.

O Vitória está acima de qualquer atleta".

Bahia negocia para contratar o técnico Roger Machado

O Bahia está em negociação avançada para contratar o técnico Roger Machado, que está sem clube desde que deixou o Palmeiras, no ano passado. Ele deverá ser o substituto de Enderson Moreira, demitido no último domingo, após derrota para o Sampaio Corrêa e eliminação na Copa do Nordeste. Procurado pela reportagem, o clube avisou que não se manifestaria sobre o assunto.

A comissão técnica que chega com Roger conta com Roberto Ribas, auxiliar, Jussan, como analista de desempenho, e Paulo Paixão na preparação física.

O treinador foi procurado por alguns clubes ao longo da temporada passada, mas sempre deixou claro sua recusa em assumir uma equipe no meio da temporada. Ele já esteve na pauta de clubes como Flamengo, Santos e Goiás.

No Palmeiras, Roger foi demitido com 68% de aproveitamento: 27 vitórias, nove empates e oito derrotas. Ele foi substituído por Felipão, que levou o clube ao título brasileiro do ano passado.

Roger surgiu com muito destaque no Grêmio em 2015, com um futebol ofensivo e elogiado no país inteiro. No ano seguinte, sua equipe foi criticada, sobretudo, por falhas na defesa, e ele foi demitido. Renato Gaúcho assumiu a equipe e foi campeão da Copa do Brasil.

Roger ainda treinou o Atlético-MG, em 2017, onde foi campeão mineiro e ficou durante sete meses, demitido com 63% de aproveitamento.

Assinar este feed RSS

Mapa de Seções

Entretenimento

Notícias Locais

Sobre Nós

Nos Siga

×

Se inscreva e fique por dentro!

Seja o Primeiro a saber quando anunciarmos uma promoção

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time