Reconstruir melhor: os democratas do Senado, incluindo Mancin, se reúnem para avançar com o projeto de lei de gastos sociais

Dois dias depois Senador Joe Mancin Ele anunciou que não votaria no ambicioso plano de gastos sociais de seu partido, com fontes democratas dizendo que os democratas do Senado se reuniram na noite de terça-feira para discutir maneiras de fazer a lei avançar. Uma vez que todos os 50 democratas devem apoiar a aprovação do projeto, a oposição de Mansin ao projeto pode minar a Lei Construída para Melhor.

O senador da Virgínia Ocidental também se juntou à ligação e, de acordo com uma fonte familiarizada com a ligação, Mancin freqüentemente ouvia outras pessoas falando. No entanto, ele fez alguns comentários no início da teleconferência, reiterando o que havia dito anteriormente sobre o projeto.

Seu porta-voz disse em um comunicado: “O senador Munchin falou honestamente com seus colegas esta noite e tem grande respeito por ele”.

As tensões vêm aumentando há dias antes de o senador da Virgínia Ocidental dizer que não apoiaria o projeto. No final da semana, as negociações com a Casa Branca já haviam sido consideradas ruins. Assim que Munchin apareceu na “Fox News Sunday”, ele estava lá Anunciou sua decisão, A Casa Branca o acusou de retrocesso, e os democratas progressistas o acusaram de covardia.

Na segunda-feira, no entanto, o confronto público da Casa Branca foi mínimo – o vice-presidente Kamala Harris, um Entrevista de rede exclusiva Com Margaret Brennan da CBS News, ela negou que se sentiu traída ao mudar a lei. “Acho que as apostas são tão altas que não pode ser sobre qualquer pessoa em particular, de forma alguma”, disse ele.

O líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, disse aos democratas que as cláusulas do projeto de lei para melhorar a construção eram “absolutamente necessárias e muito importantes para desistir”.

READ  Adele adia residência após se revoltar com acrobacia na piscina

Ele disse que pressionaria por um referendo em janeiro sobre um projeto de lei que aumentaria a pressão pelo acordo.

“Eu sei que estamos todos frustrados com esta decisão”, disse Schumacher sobre a rejeição de Mans à mudança. “Mas reconstruída melhor. Não vamos desistir do período. Não vamos parar de trabalhar até que a lei seja aprovada.”

Como o presidente Piedmont, Schumer apontou para declarações recentes do Goldman Sachs e da Moody’s sugerindo que uma falha na aprovação de um projeto de lei de gastos sociais poderia prejudicar a fraca recuperação econômica do país.

Na convocação, os democratas apoiaram a ideia de realizar um referendo em Built-back Better, e Schumacher disse ao Cáucaso que aceitaria um projeto de lei recentemente aprovado pela Câmara para iniciar o debate.

Democratas e republicanos tropeçaram em sua tentativa de aprovar o projeto de lei sobre o direito de votar. Schumer disse que o Senado consideraria uma mudança nas regras do Senado para aprovar o projeto de lei de direitos de voto, caso eles o bloqueiem novamente em janeiro. Mansin e a senadora Kirsten Cinema do Arizona, republicanos se opõem à mudança das regras do Philippister que impedem a aprovação do projeto de lei, no entanto, confirmando que a medida fracassará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *